MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Familia System Center Crescendo... Novidades !!!

Os produtos da linha System Center estão mostrando as suas novas versões, antes chamadas de vNext e agora alguns como 2012 e outros com nomes oficiais. Diversas novidades vimos no MVP Summit em fevereiro, mas eram NDA até o lançamento das novas versões esta semana no MMC 2011.

O primeiro e o mais aguardado é o System Center Virtual Machine Manager 2012 (VMM 2012) BETA. Este produto reserva muitas alterações e implementações, principalmente levando em conta que sua ultima versão oficiai é VMM 2008 R2.

Uma das novas funções é o Fabric que permite criar ambientes com funções pré-programadas como por exemplo, Hyper-V, SQL, File Server, NAP e assim por diante. Imagine a situação de um datacenter onde eu ofereço ao cliente um pacote de funcionalidades do Windows Server. O Fabric permite que estas funcionalidades sejam mostradas como se fossem opções no momento da criação da VM sobre o template existe. Com isso eu uso o template do Windows Server 2008 R2 e seleciono os papéis que desejo e a VM é criada e por PowerShell o próprio VMM configura e habilita as features desejadas. Outra funcionalidade do Fabric é gerenciar os storages e produtos de terceiros.

Outra funcionalidade interessante é que o PRO Tips agora será integrado com as métricas do System Center Operations Manager (SCOM) e irá gerar os alertas de forma centralizada, permitindo muito mais interação entre o produto de monitoração e o VMM.

Este é um resumo dos itens que achei mais interessante, para ver mais detalhes e instalar o VMM 2012 veja este link:http://bit.ly/h0TGnT

O segundo produto mais aguardado da familia é o System Center Configuration Manager 2012 (SCCM) BETA 2. A interface foi finalmente remodelada deixando de lado os treeviews que vinham desde o SMS 2. Já discuti em outros posts as mudanças que este produto traz ainda com o nome de vNext.

Uma das mais interessantes funcionalidades que o SCCM 2012 tem é permitir que os agentes sejam configurados por coleção e não por site como acontece na versão atual (http://bit.ly/e5s4SE).

Para baixar o SCCM 2012 Beta 2 acesse o link http://bit.ly/f72TZw e aprenda desde já mais sobre este produto, que se aprimorou muito e deixou de lado o legado do SMS 2, como por exemplo, a versão 32 bits.

O terceiro produto que estava em beta e agora se tornou versão final é o Windows Intune, produto para gerenciamento de ambiente baseado em cloud. Muitas vezes simplificamos que o Intume é o SCCM cloud, porem ele tem uma visão diferente disso.

O Intune permite distribuição de software, inventário e outras opções que existem no SCCM, mas ele não tem contem algumas e acrescenta novas. Por exemplo, o Intune permite distribuir regras para as maquinas monitoras

Para utilizar o Intune por 30 dias ou licenciar para sua empresa acesse o link http://bit.ly/eR5uYb

O quarto produto lançado é o Windows Advisor BETA (PROJETO ATLANTA) que permite monitorar servidores Windows Server 2008 e SQL Server 2008 online. Não é o mesmo que o Intune já que este se destina a produtos especificos e servidores.

O interessante do Advisor (Atlanta) é que ele mescla funções do MBSA e BPA’s (Best Practices Analyser) com o monitoramento do SCOM. Ele não é um SCOM Cloud já que não tem tem todas as funcionalidades de customização, mas faz bem o trabalho.

Para o Advisor vou montar um laboratório e postarei detalhes em breve, mas o testdrive pode ser feito pelo link http://bit.ly/e2knwl

Por fim, o ultimo produto lançado da lista que eu achei importante é o Projeto CONCERO que ainda está em Beta fechado mas promete ser um ótimo produto.

O Concero resolve uma lacuna quando se inicia um processo de convivencia com cloud. Por exemplo, como gerenciar um grupo de servidores onde tres são on-premise e os outros dois estão no Windows Azure? Esta é a função do Concero, gerenciar ambientes mistos entre nuvem e on-premise de forma unificada.

Quando o produto se tornar aberto ao publico, com certeza postarei novidades. Dados sobre o produto podem ser visto em http://bit.ly/gl97BU

Alem destes ainda esperamos maiores detalhes do System Center Operations Manager 2012 (SCOM) e o System Center Data Protection Manager 2012 (DPM) todos nas suas versões vNext.

Forçando a Reinstalação do Cliente do SCCM 2007

Em certos casos a reinstalação do cliente do SCCM 2007 pode ficar comprometida, principalmente quando houve uma clonagem ou o computador foi renomeado e não reporta mais corretamente. Nestes casos o cliente não se instala e é necessário seguir alguns passos.

SINTOMA

Após renomear ou clonar uma maquina o SCCM não reporta a nova maquina ou duplica na lista de sistemas.

É bom lembrar que para saber se realmente temos um problema precisamos esperar o periodo completo de DDR executado pelo Heartbeat Discovery. Este periodo é onde o cliente envia um status completo DDR (Discovery Data Record).

Nestes casos tentamos desinstalar o cliente e reinstalar, porem o processo “ccmsetup” trava e não executa nenhuma tarefa, estacionado pelo Task Manager sem qualquer atividade.

CAUSA

O SCCM identifica um cliente não pelo seu nome mas sim pelo seu ID (coluna Record ID no banco de dados). Nestes casos vários clientes estão com o Resource ID causando este comportamento anomalo.

Ao desinstalar um cliente que no passado já esteve operacional e reportou inventários, os dados continuam na maquina local para execução rápida (delta) nos inventários seguintes. Desta forma, algumas configurações passadas ainda estão presentes e o instalador acaba por ficar inativo.

SOLUÇÃO

Siga uma sequencia de passos para limpar dados anteriores e fazer uma nova instalação:

  1. Vá no Task Manager e derrube o processo CCMSETUP.EXE que está em execução
  2. Abra o Explorer e apague os diretórios CCM e CCMSETUP que estão no Windows\System32. É possivel que ocorra um erro ao deletar os diretório acusando que estão em uso, reinicie a maquina e delete o diretório
  3. Delete o arquivo SMSCFG.ini no diretório Windows, bem como o conteudo do diretório Windows\MS\SMS
  4. No console do SCCM delete as maquinas que estão com problema
  5. Execute as tarefas de discovery manualmente e aguarde que as maquinas apareçam no console novamente
  6. Quando as maquinas reaparecerem basta instalar o cliente manual ou mesmo em modo Push

Em alguns casos nem isso resolverá. Se continuar reportando em maquinas erradas compare os arquivos Windows\SMSCFG.ini das maquina e verifique se o SID do AD é o mesmo nas duas. Se este for o caso, o unico jeito é reinstalar. Isto acontece porque foi feito uma clonagem da maquina sem executar antes o SYSPREP ocasionando duplicata de SIDs o que geram para o SMS um mesmo GUID.

Posted: mar 18 2011, 15:06 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Console do SCCM 2007 não conecta ao banco de dados

Este erro acontece com frequencia em clientes, então achei por bem definir o motivo e a solução.

SINTOMA

Ao tentar abrir o console do SCCM você recebe a mensagem abaixo.

image

CAUSA

Normalmente isso acontece porque o usuário atual não é o mesmo que fez a instalação do SCCM. As permissões no SCCM são granulares e não integradas ao AD, portanto ser um Domain Admin não irá dar permissões ao SCCM.

SOLUÇÃO

Entre com o usuário original que efetuou a instalação do SCCM, vá no menu “Security Rights” –> “Users” e crie um novo usuário nas permissões pedindo para copiar as permissões do atual administrador, como a imagem abaixo.

image

Voilá !!!!!   Agora seu usuário conseguirá acessar normalmente.

Posted: mar 15 2011, 17:00 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Windows Automated Installation Kit (AIK) for Windows 7 SP1

Ontem (18/02/11) foi liberada a nova versão do Windows AIK agora adaptada para incluir o Windows 7 SP1 e Windows 2008 R2 SP1. Para baixá-lo clique aqui Windows AIK.

Muitos se perguntam: Porque é necessário um novo AIK a cada versão do Windows incluindo um Service Pack?

O motivo é que o AIK não é apenas o ImageX mas sim uma coleção de ferramentas que fazem a adaptação da imagem para rodar em distribuição centralizada. Por exemplo, o DISM permite alterar as opções de configuração da maquina ainda na imagem, e como um Service Pack altera opções, como por exemplo, o suporte a RemoteFX e assim por diante, é necessário atualizar a biblioteca de configurações das ferramentas.

O mesmo acontece com o MAK e o VAMT que não reconhecem a versão 6.1.7601 que é o Windows 7 SP1 e ocasionalmente pode não ativar copias “Windows 7 With SP1” ou “Windows 2008 R2 with SP1”.

E principalmente, agora temos um novo WinPE 3.1 (Windows Pre-Environment).

Mas surge outra pergunta: E se eu continuar usando o WAIK anterior?

O problema neste caso é que o WinPE passou da versão 3.0 para 3.1 que não dá suporte aos novos arquivos e chaves de registry adicionadas no Windows 7 SP1, mas haveriam algumas modificações que não estão no WinPE 3.0, como por exemplo, o problema que comentamos anteriormente sobre imagens lentas por causa da mudança no tamanho de cluster dos fabricantes de HD (veja mais em Tamanho de setor em HDDs novos influi em imagens e performance).

Porem, nada impede que continue a usar o WAIK anterior tanto no MDT quanto no System Center Configuration Manager 2007.

Para mais detalhes, o que inclui instalar o novo WAIK no Windows 7 ou Windows 2008 R2 sem o Service Pack 1, leia o Readme em http://technet.microsoft.com/en-us/library/dd349350(WS.10).aspx

 

IMPORTANTE: O novo WAIK ainda não está homologado para rodar no SCCM 2007, então siga o blog do time de System Center e AIK da Microsoft para esta informações

Posted: fev 19 2011, 11:13 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Microsoft IT ShowCase–Exemplos práticos de implementações

Que tal ter numeros prontos para apresentar sobre um produto?

Essa é a intenção deste site do TechNet. O IT ShowCase (http://bit.ly/f4QyKC) é fornecer esta ajuda. Já havia blogado anteriormente sobre os IPDs (Atualizado- Baixe todos os Infrastructure Planning and Design (IPD) guides da Microsoft JUNTOS !) que são documentos de referencia para novas implementações.

Porem a intenção dos documentos no IT ShowCase é fornecer dados balizados para a implementação de um produto, feature ou customização.

Por exemplo, no documento “Manage, Monitor, and Report: Implementing a Power Management Strategy with System Center Configuration Manager 2007 R3” (http://bit.ly/fh8eco) é possivel saber quantos watts e valores (U$) são economizados com a implementação do recurso de gerenciamento de energia pelo SCCM.

Veja a lista de novos documentos, atualizados agora em fevereiro:

Bom proveito e guarde o link principal, sempre há atualizações !!!

Posted: fev 11 2011, 22:29 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Login
Marcelo de Moraes Sincic | All posts tagged 'rds'
MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Microsoft Azure RemoteApp

Recentemente a Microsoft anunciou o lançamento deste serviço, chamado de RemoteApp.

Introdução ao RemoteApp

O RemoteApp é um serviço para permitir a execução de aplicações instaladas no Azure sejam executadas em máquinas Windows, Mac, iPad, iPhone e Android.

É a mesma coisa que o Remote Desktop Services (RDS) do Windows Server 2012?

Basicamente sim na utilização pelo usuário final, mas difere no funcionamento comparado ao Remote Desktop Services disponivel no Windows Server 2012.

No RDS publicamos as aplicações nos servidores Windows e definimos os atalhos destas aplicações baseadas no farm de servidores RDS que foram criados. É baseado nas aplicações que rodam no servidor, criando instâncias das aplicações. Só é possivel publicar aplicações que estejam instaladas em todo o farm.

No Azure RemoteApp fazemos o upload de uma maquina virtual criada no Hyper-V para o Azure e o sistema apresenta as aplicações disponiveis nesta VM para serem oferecidas ao cliente. As instâncias que o usuário funcionam no modelo de auto-provisionamento, onde a VM é criada conforme a necessidade de novas execuções. Alem disso, cada VM pode conter diferentes aplicações e o Azure é o responsável por iniciar a VM correspondente aquela aplicação solicitada pelo usuário.

Criando Serviço RemoteApp

Como o RemoteApp ainda é Preview, é necessário solicitar acesso a ele pelo portal do Azure, que pode demorar até uma semana para ser concedido. Após receber o email liberando o uso, podemos ver o serviço no painel.

Importante lembrar que no periodo de Preview o uso é gratuito, mas após a disponibilização pública ou GA (Global Availability) passa a ter um custo utilizar este serviço.

No painel do Microsoft Azure será possivel ver o RemoteApp e criar serviços:

RemoteApp (1)

Para criar o serviço, basta utilizar o botão “New” do Azure e criar uma instância. No meu exemplo utilizei a VM já padronizada com Office 2013 que o Azure dispõe como padrão, mas veja que no menu do serviço acima temos a opção “Template Images” onde podemos colocar as nossas aplicações customizadas, bastando utilizar o Windows Server 2012 R2 com SysPrep.

Após criar a instância do serviço, o passo seguinte é definirmos os acessos. Se o seu ambiente possui o Azure AD poderá utilizar os usuários do Dominio, se não houver a integração podemos usar diretamente as Microsoft Accounts como o exemplo abaixo:

RemoteApp (2)

Após definir o acesso e criar o serviço definimos quais aplicações serão disponibilizadas. Esse processo pode ser feito apresentando as aplicações pelo caminho na VM ou pelo Menu Iniciar, como o exemplo abaixo:

RemoteApp (3)

RemoteApp (4)

Terminado isso, as aplicações estão publicadas e já é possivel abrir com o cliente RDP especifico do Azure RemoteApp.

Utilizando as Aplicações no Windows

Entre no site https://www.remoteapp.windowsazure.com e instalar o cliente RDP da Microsoft, como pode ser visto abaixo:

RemoteApp (5)

Ao instalar o cliente já podemos ver as aplicações publicadas e utilizá-las, o que é muito fácil e rápido uma vez que está vinculado ao seu usuário no RemoteApp:

RemoteApp (6)

RemoteApp (7)

Veja no exemplo acima que o Excel tem o ícone com o simbolo do RDS, indicando que se trata de uma aplicação remota. Mas para o usuário, nada muda e toda a execução é transparente.

Utilizando o Azure RemoteApp no iPad

O passo seguinte é abrir em um dispositivo não-Windows. Utilizei neste caso o iPad.

Para iniciar bastou entrar no site e pedir para instalar o cliente RDP que automaticamente abriu a Apple Store:

iPad (1)iPad (2)

Ao abrir o cliente Microsoft RDP no iPad utilize o “Add Microsoft RemoteApp” que já está disponivel nesta versão do cliente para incluir o Microsoft Account vinculado no RemoteApp, digitar os dados de acesso e aceitar o invite apresentado:

iPad (3)iPad (4)

Automaticamente as aplicações publicadas já estão disponiveis para uso, de forma muito prática:

iPad (5)

Ao clicar na aplicação desejada o cliente RDP irá fazer o login no Azure e instanciar a aplicação selecionada de forma dinâmica:

iPad (6)

E a mágica acontece! O Excel está aberto na tela do iPad com recursos completos e possibilitando trabalho remoto:

iPad (7)

Dúvidas Adicionais

É possivel usar o RemoteApp para abrir aplicações na minha estação local ou device (iOS e Android)?

Não, o RemoteApp não tem acesso aos recursos locais da maquina ou device. Porem, ele utliza como padrão para salvamento o OneDrive que permite a troca do arquivo com a sincronização padrão e possui cliente para os devices suportados.

Posso administrar remotamente as sessões como no RDS?

Sim, no console do Microsoft Azure é possivel enviar uma mensagem para o usuário, encerrar a sessão ou desconectar todos ou um unico usuário selecionado:

RemoteApp (8)

É complexo o processo para publicar as minhas próprias aplicações?

Não, é bem simples. Crie uma VM no Windows Server 2012 R2 (utilizando Gen1 com VHD, o Azure não suporte VHDX), instale as aplicações e execute o SysPrep. Depois disso na opção do console do RemoteApp utilize a opção “Template Images” para fazer o upload do VHD.

É possivel integrar o RemoteApp em um farm RDS ou no meu ambiente de rede local?

Sim, porem este processo é complexo e necessita que seja criado um gateway virtual que aponta o RemoteApp para o seu ambiente com IP Público. Para fazer este processo consulte a documentação disponivel no site do Microsoft Azure, que por se tratar de um Preview ainda não é extensa e simples de ser consultado passo-a-passo.

Exame 70-669–Microsoft Desktop Virtualization

Hoje passei no exame 70-669 que abrange as tecnologias de virtualização de desktops da Microsoft. Ele é o segundo de três exames necessários para o MCITP em Virtualização.

image

Vou detalhar as 4 principais tecnologias que são abordadas e alguns exemplos de perguntas. Obviamente que meu exame teve uma parte das perguntas possiveis e não vou passar exatamente os cenários nem as opções.

Seguem materiais de estudos obrigatórios para este exame:

APP-V (Application Virtualization)

Este é a tecnologia que a Microsoft adquiriu a alguns anos e se chamava SoftGrid. O conceito deste tipo de tecnologia é muito interessante, mas apesar de levar o nome de virtualização é bem diferente dos modelos que conhecemos no Hyper-V e MED-V. É formado pelo App-V Manager e o App-V Sequencer.

O trabalho começa ao “sequenciar” uma aplicação e criar um pacote. Este processo nada mais é do que um monitor que ao ser iniciado passa a copiar tudo o que acontecer em um desktop. Após iniciá-lo fazemos a instalação de um software e ao final temos o pacote (package) pronto com todos os arquivos, chaves de registro e atalhos.

Exemplos de perguntas sobre o App-V:

  • Um pacote ficou corrompido, qual a melhor forma de resolver?
  • Como você faria para distribuir um pacote sem ter o App-V Manager no ambiente?
  • Qual a ferramenta para garantir atualizações no pacote sem redistribui-lo?

Portal TechNet: http://technet.microsoft.com/en-us/appvirtualization/bb508934 e http://technet.microsoft.com/en-us/appvirtualization/cc843994

MED-D (Enterprise Desktop Virtualization)

O MED-V nada mais é do que um automatizador e gerenciador de imagens para o Windows Virtual PC do Windows 7, e é formado pelo gerenciador e pelo MED-V Workspace que fica no desktop.

Esta ferramenta irá permitir que as imagens de Windows XP criadas com aplicativos sejam distribuidas entre os usuarios. Por exemplo, imagine que duas determinadas aplicações não executem no Windows 7 e seja necessário usar o XP Mode. O MED-V ajudará a distribuir, atualizar e controlar estas VMs.

Exemplos de perguntas sobre o MED-V:

  • Como fazer para converter o MED-V já existente para Cluster?
  • Como otimizar a distribuição de imagens do MED-V pela rede?
  • Como evitar que o MED-V consuma muito espaço em disco no servidor?

Portal TechNet: http://technet.microsoft.com/en-us/windows/bb899442 e http://technet.microsoft.com/pt-br/windows/gg276319.aspx

RDS (Remote Desktop Services)

O RDS é o Terminal Services do Windows 2008 e dispensa grandes explicações. Porem, é importante lembrar que ele é formado por vários componentes: RD Gateway para garantir acesso pela internet, RD Web Access para criar o portal de aplicações pelo browser, RD Broker para distribuir e gerenciar afinidade entre o farm, RD Session para manter os perfis dos usuários.

É importante lembrar muito bem os papeis e como cada um deles se relaciona com outro e qual a melhor forma de trabalhar com estes papeis em uma empresa.

Exemplos de perguntas sobre RDS:

  • Dado um quadro de servidores com várias funções, qual deles seria colocado no Conexão da Area de Trabalho?
  • Como garantir que uma impressora do usuário não seja redirecionada para a sessão remota?
  • Como impedir que um pendrive seja mapeado na sessão remota?
  • Quais portas e serviços adicionais precisam estar habilitados entre os papeis do RDS?

Portal TechNet: http://technet.microsoft.com/en-us/library/cc770412.aspx e http://technet.microsoft.com/en-us/edge/ff945046

VDI (Virtual Desktop Infrastructure)

Esta tecnologia pode ser facilmente explicada como uma junção do RDS com o Hyper-V para criar ambientes virtuais de desktop. Você pode criar várias VMs de Windows 7 no Hyper-V e pelo AD Users and Computers vincular os usuários as VMs quando eles acessarem pelo RDS.

Esta foi a parte do exame que teve menos perguntas, já que o processo de VDI da Microsoft é extremamente simples de ser criado e configurado. Também não é facil encontrar documentação sobre isso, porem no Edge existem muitos vídeos.

Exemplos de perguntas sobre VDI:

  • Como fazer o licenciamento “per-user” e “per-device”, revogar de um ou outro e implementar?
  • Qual a melhor forma de transferir dados de uma VM para outra?
  • Como fazer com que um atalho apareça para todos os usuários?

Portal TechNet: http://technet.microsoft.com/en-us/edge/ff945049

É isso ai, bom exame e me conte se passou!!!

Posted: out 21 2011, 19:50 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Free e-book: Understanding Microsoft Virtualization R2 Solutions

Este livro está sendo oferecido gratuitamente pelo time do System Center, um livro muito bom !!!

Inlcui o Hyper-V, Remote Desktop Services (RDS), Virtual Desktop Infrastructure (VDI) e Cloud Computing em 480 páginas.

 

Baixe por este link: http://bit.ly/9eIUjo

Posted: fev 17 2010, 16:43 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Remote Desktop Services do Windows 2008 R2 em Domain Controller

Esta semana implantamos em uma empresa pequena o RDP do Windows 2008 R2, mas como a empresa utiliza apenas dois servidores (alem de firewall), obviamente os dois eram master e réplica do AD. O fato do servidor RDS ser um DC nos deu uma certa dor de cabeça.

SINTOMAS

  1. Não era possivel nenhum usuário se logar via RDP exceto o administrador. Os usuários já acessavam antes um servidor Windows 2003 que foi inutilizado, portanto não eram permissões.
  2. Não era possível imprimir pelo "Remote Desktop Easy Print" driver, a impressora era mapeada no servidor mas não saia na impressora fisica remota.

CAUSA

Obviamente, a causa era a mesma e fácil de se ver: As politicas de um Domain Controller não permitem acesso a usuários comuns nem no RDP nem na pasta SPOOL.

SOLUÇÃO

  1. Abra a GPO "Default Domain Controllers" Computer -> Windows Settings -> Local Policies -> User Rights e inclua o grupo "Remote Desktop Users" na politica Allow log...Remote Desktop Services. Com isso os usuários já poderão logar no servidor após executar o gpupdate /force no DC
  2. Resete as permissões na pasta de spooler (c:\Windows\System32\Spool) com o comando: Cacls.exe PRINTERS /e /g users:C 

Pronto !!!! Os usuários agora podem se logar no RDP e imprimem normalmente.

Se quiser mais detalhes do funcionamento da impressão no Windows 2008, recomendo o posto do ASK of Performance Team em http://blogs.technet.com/askperf/archive/2008/02/17/ws2008-terminal-services-printing.aspx.

Posted: fev 06 2010, 14:46 by msincic | Comentários (2) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Windows 2008
Login