MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Pageviews The process cannot access the file 'D:\home\site\wwwroot\Visitas2.xml' because it is being used by another process.
Pageviews 2018: 4296564
Pageviews 2017: 4351543
Pageviews 2016: 3991973
Pageviews 2015: 2675433
Pageviews 2014: 2664208
Pageviews 2013: 2399409
Pageviews 2012: 3209633
Pageviews 2011: 2730038
Pageviews 2010: 1470924
Pageviews 2009: 64608

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Microsoft Management Summit 2012 - MMS 2012

image

Para quem é especializado em produtos de gerenciamento da família System Center este evento é especial (http://www.mms-2012.com/).

O ano passado não pude participar mas com a liberação das versões RC dos produtos System Center 2012 (http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Download-de-Betas-e-RCs-da-familia-System-Center-2012.aspx) o MMS passa a ter uma importância fundamental para conhecer em primeira mão as novidades e, quem sabe, já estejamos com os produtos em RTM.

Além disso o MMS trata de todos os outros produtos que são utilizados no gerenciamento de um ambiente como o WSUS, AD, VDI, GPO e muitos outros (http://www.mms-2012.com/learningopps).

O mais interessante é que diferente do TechEd que é mais baseado em palestras, o MMS tem em seu formato Hands On, palestras técnicas e as sessões “Birds-Of-A-Feather” onde o participante tem a oportunidade de bate papos com o time de produtos, muito similar ao “Ask The Experts” nos TechEds em um formato mais informal. Alem disso, como já existe no TechEd é possível fazer exames a um valor diferenciado.

Este ano ganhei pelo time de produtos do System Center Operations Manager o ingresso para o evento pela participação nos feedbacks do produto, do qual já havia recebido um prêmio pela participação no VMM 2012. (http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Vencedor-de-Outubro-do-VMM-2012-CEP-Community-Participation-Contest.aspx)

Durante o evento tentarei postar o máximo possível de informações e deixar todos informados das novidades.

Alem de mim sei que haverá pelo menos outros 2 brasileiros pela promoção da Microsoft Brasil (MIVP) e mandem e-mail outros que irão participar e desejarem nos encontrar para bater um papo por lá.

Posted: jan 11 2012, 10:15 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Eventos | System Center

Começando um novo ano de trabalho e balanço de 2011

Este ano calendar de 2011 foi um ano muito corrido, com grandes mudanças profissionais no meu caso.

Muito se falava ainda nos efeitos da crise no inicio do ano e que este ano ainda seria com crescimento imperceptivel, mas a verdade é que foi um excelente ano para TI com as empresas entrando de vez na onda de virtualização ao invés de simples upgrade nos atuais servidores.

Como foi 2011

Também foi um ano com muitas novidades em vislumbre de produtos, já que 2010 havia sido um ano pífio do ponto de vista das novidades. Incluo nisso a nova familia de produtos System Center 2012 (Roadmap da Familia System Center 2012) destacando o Orchestrator e AVICode como novidades, passamos a ter mais dados das esperadas versões do Windows Phone 7 Mango e do Windows 8 (Primeiras Impressões- Windows 8 Server Developer Preview). Em outras linhas vimos o VMWare 5 que também traz muitas novidades.

Profissionalmente Fevereiro foi um mês especial por dois motivos. O primeiro que pude participar pela primeira vez do MVP Summit em Redmond na sede da Microsoft, o que é um evento que em sí já é excelente, mas a oportunidade de conhecer onde alguns dos produtos que mais trabalhamos é feita e conhecer as cabeças por trás deles é muito bom.

Segundo motivo que fez de Fevereiro um mês especial foi que passei a integrar a equipe de Consultoria Global em Serviços de Infraestrutura (GICS) da Dell Computadores, que é formada por poucos profissionais, mas que são de grande conhecimento. Após 17 anos trabalhando como terceirizado ou prestador de serviços não tendo vinculo fixo com nenhuma empresa, foi um ótimo recomeço e a equipe extremente qualificada ajudou muito nisso.

Em 2011 completei 11 anos como MCT (Microsoft Certified Trainer) o que me alegra muito (Aprovação de MCT) pois fo assim que conheci muitos dos profissionais com que hoje trabalho ou interajo. Este ano assim que reabrirem as incrições, provavelmente no inicio de março, irei novamente renovar apesar de neste ano que passou ter minitrado treinamento apenas em Janeiro. Mas em 2012 pretendo retornar a sala de aula como instrutor agora com os produtos System Center 2012.

No ano de 2011 a Microsoft iniciou uma nova forma de divulgar conhecimento por meio dos “Centros de Treinamento” que tive a oportunidade de organizar e gravar parte de 3 deles:

Esse ano tive alguns post que me orgulho de ter feito e se tornaram os tops no meu blog em portugues e ingles (http://www.msincic.wordpress.com) :

Na parte de eventos pude participar da série MS TechDay que é organizada pela Fernanda Saraiva (@fefesariava) e outros MVPs como o Evilazario, Nakano, Donda, Helio Panissa, Nogare. Alem disso também pude participar do UNIT com outros grandes profissionais organizado pelo Jordano (@jordanomazzoni)

E claro, foi com enorme satisfação participar em meu 5º TechEd como palestrante (Microsoft TechEd 2011–Não deixe de comparecer).

Em Outubro o Daniel Donda (@danieldonda) e o Alexandro Prado (@alexandroprado) me convidaram a revisar e fazer o prefácio do e-book que montaram sobre GPO, que por sinal ficou excelente E-book Group Policy Objects - Da teoria à prática.

Ainda no mês de Outubro fui renovado como MVP (MVP 2011–Obrigado Comunidades) o que me deixou muito feliz. Neste ano tivemos um novo MVP Lead a partir de Fevereiro que é o João Paulo Clementi (@jpclementi) que está fazendo um ótimo trabalho, o que inclui uma renovação entre os MVPs, dando oportunidade a novos profissionais.

E agora em Dezembro para fechar o ano com chave de ouro eu e o Leandro Carvalho (@LeandroEduardo) fomos vencedores de uma iniciativa mundial para divulgação e participação nos testes do VMM 2012 Beta (http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Vencedor-de-Outubro-do-VMM-2012-CEP-Community-Participation-Contest.aspx), o que mostra o valor da comunidade brasileira, pois foram apenas 6 profissionais do mundo que receberam o prêmio.

O que esperar de 2012?

Um ano com todos os lançamentos que teremos com certeza será um ano com muito trabalho.

Ainda neste inicio do ano se espera o lançamento da familia System Center, o que irá demandar muito estudo e familiarização com estes novos produtos, e consequentemente a re-certificação.

Esperamos em breve uma versão Beta do Windows 8 Server and Client e, quem sabe, este ano ainda teremos noticiais com dadas concretas do lançamento da versão final.

Não acredito em renovação ou novos rumos só porque o ano mudou, não adianta esperar Dezembro para fazermos um levantamento do que fizemos de bom ou ruim e traçar metas, isto deve ser feito constantemente, seja na semana ou no mês. O importante é medirmos nosso progresso e continuar avançando tecnica e profissionalmente a cada ciclo de avaliação.

Um abraço a todos que me apoiaram e espero poder ajudar outros profissionais como fui ajudado neste ano calendar que terminou.

Números

Em 2011 tive no meu site em portugês 107 mil visitantes únicos fazendo 225 mil visitas com 1,47 milhões de page views, o que representa um aumento de 47% sobre o ano de 2010.

image

Já minha versão em inglês do meu site (http://msincic.wordpress.com) o aumento foi de 410% na média de visitantes únicos levando em conta que iniciei no ano passado e este ano consolidei.

image

Posted: jan 02 2012, 19:37 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: MVP | Certificação | Outros

Integrando o System Center Orchestrator 2012 com o Active Directory

Anteriormente já iniciei alguns testes com o Orchestrator e se trata de uma excelente ferramenta (System Center Orchestrator 2012–Introdução)

A Microsoft disponibilizou a poucos dias (21/12/2011) um pacote para integrar tarefas de AD ao Orchestrator e ficou muito bom com tarefas como bloquear/desbloquear usuários e computadores, criar/editar/deletar usuarios, OUs, grupos e todas as outras tarefas conforme o print abaixo mostra a barra de ferramentas do Orchestrator Designer:

27-12-2011 12-18-10

Para instalar estas ferramentas é necessário baixar o pacote em http://www.microsoft.com/download/en/details.aspx?id=28020, fazer a importação do pacote de integração (arquivo com extensão OIP) e distribuir para os servidores desejados. Segue a ordem em que as atividades são realizadas, iniciando com o registro do Integration Pack:

27-12-2011 12-14-21

O passo seguinte é distribuir o Integration Pack para os servidores onde a tarefa será executada, lembrando que não tem a ver com os DCs e sim com os servidores que executam os RunBooks:

27-12-2011 12-15-43

Ao terminar estará registrado no servidor como mostrado abaixo e irá aparecer automaticamente no Orchestrator Design como mostrado na primeira imagem.

27-12-2011 12-16-32

Mais uma interessante funcionalidade a esta ferramenta que irá ser um importante aplicativo na nova familia de produtos System Center 2012.

Posted: dez 27 2011, 12:37 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Erro de Acesso ao Web Console do SCOM 2007 R2

Este é um comportamento recorrente que passo e recebo vários emails com este caso.

Ao instalar o SCOM 2007 R2 o Web Console acusa que não é possivel abrir o web site com o erro abaixo.

SINTOMA

image

Outra situação comum é conseguir acessar a tela de login mas logo na sequencia o erro abaixo aparecer, o que normalmente com um refresh na tela o console aparece, mas não é uma solução correta.

image

CAUSA

Este problema se deve ao Web Console ter caminhos fixos apontando para HTTPS e o IIS não está configurado para isso.

SOLUÇÃO

O primeiro passo é criar um certificado digital interno (Self-Signed) para o IIS ou importar um certificado externo já existente, acessando a opção Server Certificates no console do servidor IIS.

Para criar um novo certificado clique em Create Self-Signed Certificate no menu de ações e defina um nome para o uso do certificado que de preferencia deve ser o nome que será usado na URL, em geral o nome do servidor, como a tela abaixo demonstra:

image

Na sequencia clique com o botão direito no site do Web Console e utilize a opção Edit Bindings que é onde indicamos as portas, URLs e certificados usados para acesso a cada site no IIS:

image

Vincule o certificado a uma porta com o botão Add… e delete a porta anterior que não estava vinculada a um certificado.

Porem, neste caso os atalhos criados não irão funcionar, para manter os mesmos atalhos você irá precisar criar uma porta qualquer, deletar a porta padrão (no exemplo abaixo 51908) e recriar a porta desta vez com https e o certificado desejado para a criptografia do tráfego:

image

Lembrando que estes passos também podem ser necessários em outros casos, como o portal do VMM e dashboards em geral.

Posted: dez 17 2011, 10:16 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Novas Funcionalidades do Failover Cluster no Windows 2012

Um post no blog do time de produto do Windows 2012 levanta luz sobre novas funcionalidades que o MSCS (Microsoft Cluster Service) terá em http://blogs.technet.com/b/server-cloud/archive/2011/12/08/windows-server-8-hyper-v-and-high-availability.aspx.

Muitas funcionalidades são de gerenciamento e configuração, mas algumas se destacam:

  • Live Migration com multiplicas placas de rede – Hoje designamos uma placa para dar suporte ao Live Migration e somos limitados a uma VM por vez. O Windows 2012 utilizará todas as placas que estejam disponiveis para o processo, o que permitirá maior performance e multiplas operações. O processo será alterado de uma placa dedicada como é hoje para utilizar a banda livre em toda as placas.
  • Priorização e Afinidade de VMs – Estes eram dois tópicos delicados quando vendiamos soluções MSCS, pois não temos como indicar a sequencia com que as VMs deverão iniciar e, muito menos, a dependência entre elas. Isso causava problemas com aplicações como SharePoint, System Center ou IIS que dependiam do SQL Server estar iniciado para funcionarem. Como não podiamos indicar esta ordem os servidores IIS subiam antes do SQL, causando queda ou instabilidade nos serviços.
  • Novos limites de 63 nós e até 4000 VMs – Hoje o limite é 16 nós de cluster com até 1000 VMs ou 384 por host. Com o novo limite de 63 nós, aumentou correspondentemente para 4000 VMs. Um aumento de 4 vezes em número de host e VMs suportadas.
  • Transferencia de File Server transparente – Este é um dos itens muito importantes que para muitos passava despercebido em projetos e que na administração do dia-a-dia se davam conta. Quando se move um share de um File Server virtual de um nó para outro o SMB (protocolo de comunicação) derrubava a sessão e o usuário recebia uma mensagem de erro de I/O. No SMB2 no Windows 2012 será possivel fazer a migração sem a perda da sessão, resolvendo este problema. Adicionalmente isso também acontecerá se o File Server foi movido para um site remoto, porem neste caso entra o Hyper-V Replica que já é outro recurso novo no Hyper-V e não do MSCS

Quem quiser ler todo o conteúdo, segue o link http://blogs.technet.com/b/server-cloud/archive/2011/12/08/windows-server-8-hyper-v-and-high-availability.aspx

Posted: dez 09 2011, 14:09 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Windows | Windows 2012
Login
Marcelo de Moraes Sincic | MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Pageviews 2019: 3934805
Pageviews 2018: 4296564
Pageviews 2017: 4351543
Pageviews 2016: 3991973
Pageviews 2015: 2675433
Pageviews 2014: 2664208
Pageviews 2013: 2399409
Pageviews 2012: 3209633
Pageviews 2011: 2730038
Pageviews 2010: 1470924
Pageviews 2009: 64608

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Azure Virtual Datacenter (VDC) Parte I- Migração AS IS e TO BE

Quando trabalhamos em um projeto de migração para Public Cloud e o desenho é voltado a Azure, é muito comum os cenários de “AS IS”.

AS IS

Para os não iniciados com este termo, “AS IS” significa levar como está me ingles, ou seja copiar as VMs de um ambiente a outro sem qualquer alteração, utilizando o Azure como um virtualizador.

Em geral os modelos de migração AS IS não são eficientes, pois consomem muito recursos em IaaS (VMs) que custam caro, não aproveitando nada de serviços (SaaS ou PaaS) que são mais baratos. Porem, a vantagem é que é mais rápido e não exige mudanças.

TO BE (ou LIft and Shift)

Já as boas migrações são as “TO BE”, que em tradução livre seria “SERÁ” no sentido de transformação. O modelo de migração TO BE tem como premissa usar os serviços e não apenas migrar VMs.

Migrações TO BE são trabalhosas e mais demoradas, uma vez que esse mapeamento envolve entender o que está DENTRO DAS VMs.

O custo de execução é muito menor pois SaaS e PaaS tem vantagens financeiras grandes quando comparados ao modelo de IaaS.

Por exemplo, no AS IS um servidor IIS e outro de SQL serão simplesmente copiados os discos virtuais e iniciados. Já no modelo TO BE iremos isolar cada uma das aplicaçÕes que o IIS executa e criar Web Plan para isolamento e Web Services para cada site, e no caso do SQL Server usariamos o serviço de Banco de Dados (SaaS ou PaaS).

Utilizando o Service MAP

O primeiro passo para fazer uma migração é mapear o que cada VMs ou servidor fisico executa no ambiente.

Para isso utilizamos o Service MAP: http://www.marcelosincic.com.br/post/Azure-Log-Insigths-Service-Map.aspx

Com ele será possivel ver as interligações e serviços que cada servidor utiliza entre no ambiente e mapear qual serviço temos para substituir.

Entendendo o Conceito de Datacenter do Azure

Para desenhar um datacenter usando VMWare, Hyper-V ou KVM é necessário que o desenho dos hosts, rede e outros detalhes sejam feitos por especialistas no hypervisor.

O mesmo vale para Azure, precisamos entender os diferentes componentes para desenhar um datacenter com seus recursos.

Para isso, é necessário estudar, e muito.   Tambem é necessário quebrar os paradigmas de datacenter fisico e pensar em serviços.

Uma das formas de fazer isso é utilizar o Guide da própria Microsoft disponivel em https://docs.microsoft.com/en-us/azure/architecture/vdc/

Esse guia tem todas as perspectivas de um datacenter virtual, o ajudará a entender a camada de virtualização, rede, segurança, serviços e o lift and shift, ou seja a transformação para um modelo mais eficiente.

Para começar baixe a apresentação disponivel em https://aka.ms/VDC/Deck

Conclusão

Não é fácil fazer uma migração correta, mas é possivel e o resultado será muito melhor.

Ao longo do mês iremos explorar os itens que compõe o VDC e verá que é possivel fazer esse tipo de migração com recursos novos, mais eficientes e custos apropriados.

System Center 2019 e Windows Server 2019 – Upgrade in place

Como conhecido, o System Center saiu em sua nova versão, agora seguindo o mesmo conceito de Branch (Current Branch) do Windows. De agora em diante veremos as versões seguindo o numero que indica a edição:

image

A versão 2019 da suite não teve alterações em layouts ou funcionalidades principais, mas acrescenta diversos recursos novos.

Atualmente temos disponivel a nova versão 1801, que se aproxima muito do que será a versão 2019 que terá como build 1901 com data de lançamento previsto em Março.

Estes recursos podem ser visualizados no link: https://thesystemcenterblog.com/2018/09/25/whats-new-in-system-center-2019/

Upgrade do System Center Configuration Manager

O SCCM já desde a versão 2016 tem o upgrade como uma funcionalidade nativa e automática. Sempre foi muito estável e fácil de ser realizada, ficando disponivel em Administration –> Updates and Services:

Upgrade SC (10)

Após iniciado, pode-se ir pelo menu da barra superior e acompanhar toda a instalação passo a passo:

Upgrade SC (1)

Lembrando que não é possivel interagir com o upgrade após iniciado, mas em caso de se escolher deixar as features desabilitadas no menu mostrado na primeira imagem, escolha a opção Features para incluir uma das novas.

Pessoalmente sempre prefiro fazer a instalação dos upgrades sem selecionar features e depois incluir as que desejo, assim posso estudar o impacto e real necessidade de mais componentes sendo executados no servidor.

Upgrade do System Center Service Manager

Tambem simples de ser realizado, insira a midia do SCSM e ele já entrará no modo de upgrade onde você irá selecionar qual dos servidores locais está sendo atualizado. Lembrando que é importante saber a estrutura para escolher a função correta do servidor que está sendo atualizado, no meu caso o Management Server:

Upgrade SC (2)

Upgrade SC (6)

A atualização é bem tranquila, e ao final já está executando. O novo portal de auto-serviço agora oferece a experiencia HTML5 sem necessidade de componentes adicionais:

Upgrade SC (9)

Upgrade do System Center Operations Manager

A Microsoft realmente aprendeu a fazer upgrades de versão com o System Center transparentes, rapidas e eficientes. O mesmo vale para o SCOM.

Similar ao SCSM, basta incluir a midia e executar o modo de upgrade:

Upgrade SC (3)

Upgrade SC (8)

A mensagem de Warning na tela acima existe desde as versões anteriores. Como os instaladores do System Center não pedem chave, em alguns é necessário fazer a inserção da chave posteriormente.

Para inserir a chave, execute o PowerShell do SCOM e utilize o comando, lembrando que agora a chave de instalação do System Center é a mesma para toda a suite desde a versão 2012:

Set-SCOMLicense -ProductId 'xxxxx’

Upgrade do System Center Orchestrator e Virtual Machine Manager

Para fazer o upgrade do SCO tive que primeiro desinstalar o servidor. O motivo no meu caso foi a instalação de um update no meio do ano que era beta e com isso o upgrade automático não é possivel.

Nesses casos, faça a desinstalação do servidor com a opção Retain Database ativada, mesmo sendo a do SCVMM a do Orchestrator é similar:

Upgrade SC (7)

Depois de desinstalar a versão anterior, ou mesmo para um refresh, refaça a instalação com a opção de utilizar um banco de dados já existente:

Upgrade SC (4)

Upgrade SC (5)

Upgrade SC (12)

Com isso a instalação tanto do System Center Orchestrator quanto do Virtual Machine Manager finaliza com os mesmos dados existentes.

Em muitos casos, o Orchestrator e o Virtual Machine Manager para no meio da instalação com um erro genérico de banco de dados, com a mensagem: “DBSetup.exe fails with unknown error 0x800A0E7A”

Se isso acontecer no seu caso, baixe e instale o SQL Server 2012 Native Client – QFE disponivel em https://www.microsoft.com/en-us/download/details.aspx?id=50402

Upgrade do Windows Server 2019 com Serviços de System Center

Em alguns dos servidores, antes de fazer o upgrade do Windows realizei o upgrade do System Center.

Isso porque o System Center 2019 é compativel com o Windows Server 2012 R2, mas o contrário não. Isso quer dizer que é mais confiavel primeiro o upgrade dos serviços e depois do Sistema Operacional que tambem é compativel.

Upgrade SC (11)

Conclusão

O upgrade dos servidores System Center são estáveis, mas lembre-se de sempre ter um backup das bases de dados se ocorrer um problema nessas fases.

Tambem é importante lembrar das regras de ordem, em geral os Management Servers antes das outras funções.

Operations Management Suite (OMS) agora é Azure Monitoring

Já a algum tempo que o OMS é uma ferramenta que sempre abordo em clientes e eventos.

É um produto muito bom, com analises ricas e que evoluiu bastante neste ultimo ano, chegando a ser o produto que muitos acham que substituirá no futuro o System Center.

O que mudou na interface?

A interface anterior era mais simples e em um portal a parte como está no post abaixo:

http://www.marcelosincic.com.br/post/Adquirindo-e-Licenciamento-o-Azure-OMS-Operation-Management-Suite.aspx

Agora a interface é integrada no painel do Azure, permite criar novos dashboards facilmente. Alem disso é possivel acessar individualmente cada um dos monitores.

image

image

Com essa integração na interface do Azure ficou muito mais fácil e funcional.

E como ficou o licenciamento?

No post onde já havia abordado o OMS falamos sobre a aquisição que era complexa pois cada modulo fazia parte de um bundle, e cada bundle se soluções era pago separado. Havia a opção de comprar por nó ou por upload de log, mas havia limitação de soluções e modulos no modelo de pagamento por upload.

Agora ficou muito mais fácil, só existe um modo de cobrança que é por upload de dados.

Ou seja, agora você pode pagar pelo tamanho dos logs que envia, o que é bem mais prático e simples!

https://azure.microsoft.com/pt-br/blog/introducing-a-new-way-to-purchase-azure-monitoring-services/

image

Se não utiliza o Log Insights por não entender como pagar, agora ficou simples e bem mais barato!

Microsoft ATA–Recuperação e Migração

Já falamos anteriormente sobre o Microsoft ATA (Advanced Threat Analytics) em http://www.marcelosincic.com.br/post/Microsoft-Advanced-Thread-Analytics-(ATA).aspx

Agora houve uma grande atualização com a versão 9 que tornou o ATA mais leve em demanda de recursos e visualização dos reports.

Porem, durante a migração é possivel que ocorram perdas de conexão ao MongoDB e ser necessário fazer o backup e restore.

O mesmo processo talvez seja necessário quando se troca de servidor ATA.

Importante: Os dados do Security Log do Windows é enviado ao Machine Learning para gerar os incidentes e alertas, mas ficam hospedados localmente. Portanto se perder o servidor não terá mais os reports e incidentes já registrados.

Realizando o Backup do ATA

Para fazer o backup da configuração do ATA é utilizado a cópia do arquivo SystemProfile_yyyymmddhhmm.json que fica na pasta de instalação do ATA em um subdiretório Backup junto com as ultimas 300 cópias dos dados.

Esse arquivo SystemProfile é a base de dados do MongoDB em formato JSON, eliminando a necessidade de fazer backup a partir do Atlas ou outra ferramenta especifica para administração do MongoDB. Isso é muito bom, pois não é comum conhecermos adminsitração do MongoDB.

Para funcionar deve-se ter a cópia do certificado usado para criptografia do arquivo JSON, que é gerado durante a instalação (Self-signed).

A cópia do certificado só precisa ser feita uma vez, abra o console do MMC com o snap-in Certificados e encontre o certificado de nome Central do ATA na área de certificados Pessoas em Local Machine.

Com estes passos temos o backup das configurações do servidor que são o JSON e o certificado. Mas e os dados do ATA?

Para fazer backup do ATA é necessário como já falado conhecer as ferramentas do MongoDB e talvez você deva pensar se precisará deles uma vez já resolvidos.

Se a sua necessidade é manter os alertas e incidentes, siga a documento em https://docs.mongodb.com/manual/core/backups/ de como fazer backups da base.

Realizando o Restore do ATA

A parte de restore do ATA em um novo servidor ou configuração de uma nova versão é um pouco mais complicado que o backup que é bem simples.

Primeiro é necessário importar o certificado exportado no passo anterior na mesma árvore da qual fez no passo anterior.

Em seguida é necessário reinstalar normalmente o novo servidor ATA com o mesmo nome e IP anterior e no momento que ele pedir o certificado desativar a opção Create Self-signed” para escolher o certificado original.

Em sequencia precisamos parar o serviço Centro ATA para podermos abrir o MongoDB e importar o arquivo JSON com os seguintes comandos:

  • mongo.exe ATA
  • db.SystemProfile.remove({})
  • mongoimport.exe --db ATA --collection SystemProfile --file "<Arquivo JSON> --upsert

Observação: Primeiro comando abre a instancia, o segundo remove as configurações vazias e o terceiro importa a nova configuração.

Não é necessário recriar os Gateways pois eles são mapeados automaticamente quando se restaura as configurações.

Caso você tenha feito backup da base de dados do MongoDB siga o procedimento de restore da base antes de reiniciar o serviço do ATA.

Referencia: https://docs.microsoft.com/pt-br/advanced-threat-analytics/disaster-recovery

Posted: out 24 2018, 15:02 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

EOL do Windows e SQL 2008–Opções de Extensão

Como já é conhecido, o ciclo de vida de produtos da Microsoft para 2019 incluem o Windows e SQL 2008 RTM e R2.

image

image

Fonte: https://support.microsoft.com/pt-br/lifecycle/search 

Porque isso é importante?

Esse é um problema típico nas grandes empresas, controlar o ciclo de vida do suporte dos produtos que estão implementados.

Esse assunto não é de menos importancia, pois ter o suporte finalizado implica:

  • Novas ameaças de segurança, mesmo as que envolvem brechas de software, não são mais disponibilizadas para os sistemas expirados
  • Novos recursos em novos produtos não tem garantia de funcionamento nos produtos expirados

O primeiro item é importantissimo. Imagine que sua empresa está vulnerável a um ataque como muitos que vimos, pois apenas UM SERVIDOR em seu ambiente é expirado!!!

O que fazer se tenho produtos que expiram?

Obviamente que a melhor opção é migrar (“TO-BE”), mas sabemos que nem sempre é possivel. O que pode ajudar é usar produtos como o Service Map do Log Insights (http://www.marcelosincic.com.br/post/Azure-Log-Insigths-Service-Map.aspx).

Mas para quem não pode fazer o upgrade, uma das opções é comprar o suporte via Premier para mais 3 anos, que não é barato mas é possivel negociar através do seu time de contas Microsoft.

O custo para extender o suporte POR ANO é equivalente a 75% do software full na versão mais atual.

Porem, a Microsoft disponibilizou uma opção bem interessante que é migrar para Azure “AS-IS”!!!!

Isso mesmo, quem migrar para Azure o Windows 2008 e SQL Server 2008 não precisará se preocupar pois terão gratuitamente o suporte por 3 anos adicionais.

https://azure.microsoft.com/pt-br/blog/announcing-new-options-for-sql-server-2008-and-windows-server-2008-end-of-support/

Não precisamos nem discutir que é uma estratégia para aumentar o uso de Azure, mas muito boa financeiramente para qualquer workload que possua.

tela1

Posted: jul 23 2018, 01:56 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Login
Marcelo de Moraes Sincic | All posts tagged 'runbook'
MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Pageviews The process cannot access the file 'D:\home\site\wwwroot\Visitas2.xml' because it is being used by another process. 2019: 3934805
Pageviews 2018: 4296564
Pageviews 2017: 4351543
Pageviews 2016: 3991973
Pageviews 2015: 2675433
Pageviews 2014: 2664208
Pageviews 2013: 2399409
Pageviews 2012: 3209633
Pageviews 2011: 2730038
Pageviews 2010: 1470924
Pageviews 2009: 64608

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Webcast Integrando Soluções com System Center 2012 e Orchestrator

Hoje (12/11/2012 as 20:00) apresento mais um webcast da série MVP IT ShowCast, evento organizado por MVPs para diversas tecnologias. A agenda completa do evento está disponivel em http://mvpitshowcast.wordpress.com/agenda-completa-2012/

Este webcast será sem ppts, apenas demonstrações de como criar um Runbook que abra um incidente no Service Manager, Adicione um disco no VMM e Encerre o Incidente, alem de mostrar como integrar os Runbooks ao Service Manager.

Link para inscrição: https://msevents.microsoft.com/CUI/EventDetail.aspx?EventID=1032528862&Culture=pt-BR&community=0

CEA MVP IT ShowCast:Microsoft Virtual Machine Converter Solution Accelerator

CEA MVP IT ShowCast: System Center Orchestrator – Executando um Runbook interagindo com toda a Suite System Center 2012

Identificação do Evento: 1032528862

Idioma(s): Português.

Produto(s): Outros.

Público(s): Generalista TI implem_TI .

System Center Orchestrator – Executando um Runbook interagindo com toda a Suite System Center 2012   

System Center Orchestrator – Executando um Runbook interagindo com toda a Suite System Center 2012.
Palestrante: Marcelo Sincic
Este é um evento realizado pela COMUNIDADE TÉCNICA com o apoio da MICROSOFT.

 

Na sequencia várias outras apresentações se darão, sempre com ótimos palestrantes e alta qualidade técnica e para assistir a outros envolvendo System Center, Windows 2012, Exchange 2010/2013 acesse o link no inicio do post e veja a agenda.

Orchestrator Integration Packs para System Center 2012

Em um artigo anterior abordei como são importados os Integration Packs (OIP) para o Orchestrator para integrar tarefas do Active Directory em um pacote de ações, ou Runbook Integrando o System Center Orchestrator 2012 com o Active Directory

Neste artigo vamos ver como instalar o Integration Pack para todos os produtos da suite System Center 2012.

O primeiro passo é baixar o arquivo OIP no link http://www.microsoft.com/en-us/download/details.aspx?displaylang=en&id=28725

Dica: Caso queira saber todos os Integration Packs existentes e como configurá-los acesse http://technet.microsoft.com/library/hh295851

Em seguida registre os Integrations Packs utilizando o Orchestrator Deployment Manager como mostrado no artigo de integração citado no inicio do artigo.

Abrindo o Orchestrator Designer agora irá ter disponiveis as barras de ações de cada um dos produtos, que abordarei em seguida, sendo que ficam disponiveis as versões 2007 e 2012.

System Center Data Protection Manager 2012

As ações do DPM permitem criar pontos de restauração, recuperar dados de SharePoint, SQL e VMs do Hyper-V. Não é possivel pelas ações fazer restore de arquivos, porem isso pode ser feito por meio do componente Run DPM PowerShell Script.

12-07-2012 13-17-54

System Center Configuration Manager 2012

Permite administrar coleções, adicionando ou retirando máquinas, enviar programas, aplicações, updates e upgrades de sistema operacional.

As ações que administram coleções são importantissimas pois como o Orchestrator permite adicionar maquinas utilizando automação, como por exemplo VMs, estes componentes do SCCM 2012 nos permitiram acrescentar a nova maquina dentro de uma determinada coleção, que é o ponto focal do SCCM para distribuição e administração do ambiente.

12-07-2012 13-18-10

System Center Operations Manager 2012

Voltado exclusivamente para iniciar operações, estes componentes permitem monitorar eventos ou alertas especificos, colocar a maquina em modo de manutenção para executar outras tarefas corretivas, fechar o alerta e retirar a maquina do modo de manutenção.

Com isso teriamos um fluxo perfeito, onde um alerta faz com que uma ação seja tomada automaticamente sem criar novos alertas, a maquina foi colocada em modo de manutenção, fazer qualquer outra tarefa de outro Integration Pack e ao final fechar o alerta e retornar a maquina para a monitoração no Cockpit.

12-07-2012 13-18-27

System Center Service Manager 2012

Assim como os componentes do Operations Manager, este se destina a controlar operações programadas, permitindo criar alguns tipos de incidentes, relacionamentos e monitorar alguns objetos.

Um exemplo de como esta integração será utilizada é criar uma Change quando um determinando Runbook está sendo executado para que seja acompanhado e ao final do processo ser atualizado com informações para registro no KB da corporação.

12-07-2012 13-18-53

System Center Virtual Machine Manager 2012

Este é o motivo principal de todo o Integration Pack para System Center 2012, uma vez que todos os outros são limitados a funções de aplicação e gerenciamento básico.

O próprio numero de itens disponiveis nas ações e diversidade dos componentes mostra como realmente é o mais completo e principal ferramenta a ser gerenciada, o que faz sentido já que o foco do System Center 2012 é o gerenciamento de nuvens públicas e privadas.

Notamos que é possivel criar, alterar e excluir discos, VMs e papéis. Alterar o estado das máquinas virtuais, criar serviços a partir dos templates e até a criação de snapshots e placas de rede no virtual switch é possivel.

12-07-2012 13-20-50

Criando um Runbook para System Center 2012

12-07-2012 13-28-57

O exemplo acima irá parar uma máquina virtual para fazer atualizações do Windows e alterar o tamanho do disco virtual.

  1. Inicializa os dados de servidores que são inseridos nas configurações de cada Integration Pack
  2. Cria uma Change no Service Manager 2012
  3. Coloca o servidor em modo de manutenção no SCOM 2012
  4. Para a maquina virtual no VMM 2012
  5. Altera a tamanho dos VHD no VMM 2012
  6. Altera as propriedades da VM, inserindo na descrição a data da modificação
  7. Inicia a maquina virtual no VMM 2012
  8. Faz o deploy dos updates do Windows pelo SCCM 2012
  9. Tira a maquina do modo de manutenção no SCOM 2012
  10. Altera a Change no Service Manager para concluí-la
  11. Envia um email para o administrador avisando o resultado da operação

Como pode ser visto, todo o processo ocorrerá automaticamente em minutos, integrando SCSM, SCCM, SCOM e VMM para executarem uma ação em comum.

Login